sábado, 19 de abril de 2014

Resenha #20 A Guerra dos Tronos + Convidado Especial

Hoje temos um convidado muito especial resenhando conosco: o Jão \o/. Seja muito bem-vindo Jão, nós adoramos (GeL) a forma como ele escreve e eu (Barbara) tenho certeza que vocês também vão adorar! Já deixo o convite público para outras participações e para ser nosso comentarista oficial de GoT aqui no blog. O que você acha disso? Confiram aí a resenha mega especial do Jão galera ;)



Título: A Guerra dos Tronos
Autor: George R.R. Martin
Editora: Leya
Classificação: 5 estrelas 
Sinopse: Em uma terra onde o verão pode durar décadas e o inverno toda uma vida, os problemas estão apenas começando. O frio está de volta e, nas florestas ao norte de Winterfell, forças sobrenaturais se espalham por trás da Muralha que protege a região. No centro do conflito estão os Stark do reino de Winterfell, uma família tão áspera quanto as terras que lhe pertencem. Dos lugares onde o frio é brutal, até os distantes reinos de plenitude e sol, George R. R. Martin narra uma história de lordes e damas, soldados e mercenários, assassinos e bastardos, que se juntam em um tempo de presságios malignos. Entre disputas por reinos, tragédias e traições, vitória e terror, o destino dos Stark, seus aliados e seus inimigos é incerto. Mas cada um está se esforçando para ganhar este conflito mortal: a guerra dos tronos.


Oi, eu sou o João (Jão), tenho 18 anos recém completados, curso Matemática na UFF (Polo de Volta Redonda), resido no interior do Rio de Janeiro, sou levemente apaixonado por Game of Thrones e As Crônicas de Gelo e Fogo , no momento luto para chegar aos 100 livros lidos na vida e venho aqui neste blog cor de rosa choque (por isso, não provoque) a pedido das minhas queridas amigas (Ba, Mi e Ra) para falar um pouco (muito) de “A Guerra dos Tronos, primeiro livro da saga do meu (o seu, o nosso) adorado George R.R. Martin. Eu vou tentar não dar spoilers, mesmo achando quase impossível, mas quando eu o fizer assinalarei com uma tag [SPOILER] para que ninguém tome spoilers indesejados [/SPOILER]. Então vamos com essa resenha porque Valar Dohaeris...

“Quando você joga um jogo de tronos você ganha ou você morre.” - Cersei Lannister



Não seria necessária nenhuma palavra a mais, essa sinopse dá um bom panorama do que é o livro e já instiga o leitor a se aventurar por Westeros e conhecer os tão queridos e odiados personagens que todos comentam, sejam os telespectadores da série da HBO ou os leitores do livro os nomes dos personagens estão na boca de milhares porque essa é uma história envolvente e difícil de se encontrar por aí. O livro é contado sobre pontos de vista (PoV Point of View) de vários personagens, a maioria deles Starks.

“O inverno está chegando.” – Ned Stark

Nas primeiras páginas depois do prólogo, que no começo é meio solto do resto dos personagens, conhecemos a família Stark. A família Stark é composta por: Eddard (Ned) Stark, Catelyn (Cat) Stark, Robb, Sansa, Arya, Bran e Rickon. Lorde Eddard ainda tem um bastardo, de nome Jon Snow. Jon não tem o sobrenome do pai porque em Westeros os bastardos do Norte (consulte o mapa) recebem o sobrenome de Snow por causa da neve incessante que cai nessa região. Há ainda Theon Greyjoy, um jovem que é hóspede de Ned depois que seu pai, rei das Ilhas de Ferro, se rebelou contra o Rei Robert. O meu panorama da história é só o começo do livro, mas essa saga começa muitos anos antes e é contada em fragmentos pelos personagens que a viveram ou que ouviram histórias sobre. A ajuda das Amas de leite e dos Meistres no contar dessas histórias é muito importante, a riqueza da história está nos detalhes e essa tem muitos.

“Deixe-me lhe dizer algumas coisas acerca de lobos, filha. Quando as neves caem e os ventos brancos sopram, o lobo solitário morre, mas a alcateia sobrevive. O verão é o tempo das picuinhas. No inverno, devemos proteger uns aos outros, nos manter quentes, partilhar nossas forças. Por isso, se tiver que odiar, Arya, odeie aqueles que realmente nos querem fazer mal." – Eddard Stark

 Robb, Jon e Bran vão com o pai para o julgamento de um desertor da Muralha, que jura ter visto Caminhantes Brancos. Jon diz a Bran para não desviar o olhar enquanto o pai aplicasse a sentença e assim ele o faz. Na volta para Winterfell a comitiva encontra uma loba gigante morta e dentro dela têm 6 filhotes de lobo gigante, um para cada filho de Ned.  A simbologia disso é muito legal porque a Casa Stark tem como brasão um Lobo Gigante e o lobo do Jon é branco, como a neve. Os lobos crescem muito rápido, afinal são lobos gigantes, e vão adquirindo uma ligação muito forte com seus donos, tomando até características deles para si.

"Eu juro para você: sentar em um trono é mil vezes mais difícil do que conquistar um."  – Robert Baratheon"

 Os Starks estão a espera da comitiva do Rei Robert Baratheon, que está vindo ao Norte convidar Ned para ser Mão do Rei já que seu antecessor, Jon Arryn, amigo dos dois e cunhado de Catelyn, morreu. Ned reluta em aceitar, mas uma carta o faz repensar.

"Nunca se esqueça do que você é, pois certamente o mundo não vai. Se fizer disso a sua força nunca poderá ser a sua fraqueza. Arme-se com isso, e isso nunca vai ser usado para prejudicá-lo." – Tyrion Lannister

Quando a comitiva chega a Winterfell o personagem mais amado da saga surge e é amor à primeira página. Não há quem não simpatize com os seus pensamentos, suas falas e a destreza com que a mente dele trabalha. O Duende. O anão. Tyrion Lannister. Irmão mais novo da Rainha e Jaime, integrante da Guarda do Rei.  Ele é o único Lannister que tem um PoV nesse primeiro momento.

"Todo voo começa com uma queda." – O Corvo de Três Olhos

A queda de um Stark também é mostrada, mas o novo Mão do Rei tem que partir para a Fortaleza Vermelha, deixando o Stark Quebrado para trás.

"As coisas que eu faço por amor." – Jaime Lannister

Ned parte de Winterfell, com a comitiva, apenas com Sansa e Arya, deixando a esposa, Bran, Rickon e Robb em Winterfell. Jon, segue com o Tio e o Duende para a Muralha, onde servirá como Patrulheiro da Noite já que a Senhora Catelyn se recusa em ficar em Winterfell com a prova da infidelidade de Ned para com ela.

“E a mente precisa de livros, como a espada requer ser afiada.” - Tyrion Lannister

Nem só de Westeros a história é feita. Através do Mar Estreito, em Essos, se encontra Daenerys Targaryen, a Nascida da Tormenta e Viserys Targaryen, irmãos e últimos sobreviventes da família Targaryen que foi dizimada na Revolta de Robert. Viserys sonha em voltar a Westeros e retomar o Trono de Ferro, que é seu por direito de herança, do Usurpador. Mas eles não tem dinheiro, ou um exército, ou barcos.

Dany, de 13 apenas, está sendo negociada pelo irmão para um dono de um grande exército: Khal Drogo. (Deixe-me explicar algumas coisas, Khal Drogo é o líder do Khalasar (tribo/clã/exército), composto por milhares de dothrakis. Eles vivem em Vaes Dothrak, cidade sagrada dos dothrakis.) Viserys quer trocar Dany por um exército dothraki para poder tomar o Trono e levar a família Targaryen de volta ao posto de mais importante de Westeros. Dany é doce e linda, ela é [SPOILER] obrigada a casar com Drogo e ter a noite de núpcias [/SPOILER]. Como vocês devem saber o conceito de criança é bem novo, na “época medieval” em que a história é contada ao menstruar a menina já passava a ser mulher e poder ter filhos e então já poderia se casar. Num primeiro momento a pena que se sente pela Dany é muito grande, mas ela aprende com a vida, é uma personagem forte e tem o sangue do dragão. Nesse núcleo a palavra “dragão” é usada muitas vezes porque o símbolo/brasão da casa Targaryen é um dragão de três cabeças.

“Não quero seus gritos, apenas sua vida” – Daenerys Targaryen

Acho que me alonguei demais no panorama inicial do livro, mas acho que Martin nos passa seu exagero com as palavras. Quando começamos a falar dessa história não paramos, viajamos pela rica história que Martin nos apresenta. Falei muito, mas não cheguei nem na superfície da história. A fantasia de Martin não tem a mágica muito forte, a mágica está subliminar em falas e costumes, principalmente dos nortistas/nortenhos que mantém os velhos costumes. A mágica vai sendo introduzida, então não queira feitiços e magias sendo lançadas. Todos os personagens da história são muito bem descritos e suas motivações e desejos condizem tanto com suas personalidades quanto com suas ações.

"...Ou talvez seja um sonho seu, ou meu (...) eu não sei. Essas questões são para sábios de braços fracos. Você é a lua da minha vida. Isto é tudo o que eu sei, e tudo que preciso saber, e se isto for um sonho, matarei o homem que tentar me acordar.” – Khal Drogo

A cada página o amor e o ódio, o gelo e o fogo se tornam maiores e as tramas vão ficando mais tensas e emocionantes. Uma coisa nesse primeiro livro é um certo maniqueísmo na relação Starks e Lannisters. Eles são inimigos declarados desde os tempos da Revolta de Robert, e como vemos praticamente tudo na visão dos Starks odiamos os Lannisters e com razão, pois sabemos algumas coisas do passado, mais precisamente na Revolta de Robert, e eles nos dão provas de que não são bons a todo momento.

"Avisei para não confiar em mim" 

 Acho essa construção da história muito boa e a trama fica mais interessante quando você não sabe em quem pode confiar, quem realmente é seu inimigo.  Apesar desse pequeno maniqueísmo, realmente vemos os Lannisters como inimigos, mas no jogo dos tronos nada é o que parece ser e você nunca saberá quem terminará vivo. E me desculpem por falar tão pouco do Jon, sei que ele é um dos personagens favoritos da maioria, e meu também, mas acho que a experiência de descobrir com ele várias coisas dos Patrulheiros torna a história mais interessante.

 A cada capítulo há a mudança de PoV, e o Martin sabe como terminar cada um deles com um gostinho de quero mais, sempre aguardamos a volta de PoVs de certos personagens que têm as histórias mais legais e envolventes e até os que nós não gostamos muito devoramos porque perder qualquer vírgula dessa história já te deixa confuso lá na frente porque as histórias se entrelaçam e informações e frases ditas ou pensadas nesse primeiro livro ainda são discutidas e debatidas até o quinto livro. Não pule os capítulos da Sansa (sim, todos já tiveram vontade de fazer isso, mas não façam) ela vai ficar legal em alguma parte da história.

“A noite chega, e agora começa a minha vigia. Não terminará até a minha morte. Não tomarei esposa, não possuirei terras, não gerarei filhos. Não usarei coroas e não conquistarei glórias. Viverei e morrerei no meu posto. Sou a espada na escuridão. Sou o vigilante nas muralhas. Sou o fogo que arde contra o frio, a luz que traz consigo a alvorada, a trombeta que acorda os que dormem, o escudo que defende os reinos dos homens. Dou a minha vida e a minha honra à Patrulha da Noite, por esta noite e por todas as noites que estão para vir.”

Obrigado você que leu até aqui, você que gostou, você que não gostou, mas a todos eu peço: LEIAM!! É simplesmente uma das melhores obras fantásticas já feita, é muito bem trabalhada, surpreendente e linda. Os livros são grandes e ao primeiro contato você pensa que demorará muito para lê-los, mas pelo contrário, eles passam super rápido e você termina pedindo mais. Já têm 5 livros lançados no Brasil, a série terá, pela previsão do Martin, 7 livros. O sexto tem previsão de ser lançado no final desse ano ou no começo do próximo. Oremos aos Sete para que mantenham a saúde do nosso nem-tão-bom velhinho inabalável e que ele possa terminar essa série incrível. Enfim, tchau e até a próxima se quiserem, se não quiserem que os Outros os levem. (Mentira, amo vocês) :D