terça-feira, 22 de abril de 2014

#1 Review Game of Thrones – S04E03 Breaker of Chains

Por que não tirar as amarras que atavam minhas palavras nesse episódio? Me ajuda Daenerys!

Depois de dois episódios comentando segundo a segundo dos episódios surgiu a ideia de uma review para a série, sem spoilers claro, então coube a mim, o “Bendito é o Fruto entre as Garotas entre Livros” :P essa tarefa. Começa aqui a primeira review de GoT, do episódio 3 da 4° temporada.



Depois de um segundo episódio incrível, “Breaker of Chains” nos apresenta consequências do que foi tratado em “The Lion and the Rose”. A maior parte do núcleo do outro episódio voltou.



PORTO REAL

Vou começar falando de Porto Real e seus arredores. O episódio já começa com as consequências dos eventos do Casamento Roxo. Tyrion é preso, Sansa foge com Dontos e Cersei ainda chora por seu amado filho (todos vibraram com essa morte, ou só eu?).
Sansa é levada por Dontos pelas vielas de Porto Real, enquanto os sinos soam ao longe, eles entram num barco a remo e chegam até um grande barco, quando Sansa sobre nesse barco Mindinho está a sua espera. Ele paga a Dontos o que lhe era devido e lança mais uma de suas frases de efeito. Ele explica parte do plano de “resgate” da Sansa e promete que ela está segura. Agora, qual o motivo de Mindinho ter resgatado Sansa? O amor pela mãe foi passado para a filha?  Ou é apenas mais um jogo do Mindinho? Mindinho agora tem consigo a herdeira do Norte, ele é casado com Lysa, que é a Senhora do Ninho da Águia e do Vale, ele é Senhor de Harrenhal, enfim, quando se trata de Petyr Baelish você nunca sabe qual será o próximo movimento mesmo.

  “Dinheiro compra o silêncio temporário e a morte compra o eterno”

Olenna explica algumas coisas para Maggie (desculpa já tenho intimidade). O que ela diz sobre a aliança dos Tyrell com os Lannisters é muito importante, vejam, com o poderio de Jardim de Cima (casa dos Tyrell), os Lannister permanecem no poder, os Tyrell têm o maior exército de Westeros e são abastados em questões de alimentos. Quando a capital passou fome foram os Tyrell que “salvaram” o Reino de um colapso total.

“O próximo será mais fácil”. 

Tommen vai ganhar uma esposa?

Vamos com essa cena polêmica agora porque não estou aguentando mais tanto mimimi. No Septo de Baelor, nosso amado Rei Joffrey é velado. Tywin tem uma conversa muito franca e interessante com o Rei Tommen, que surpreende com a perspicácia. Devo dizer que gostei da mudança de ator, não sei se o Tommen antes do Cogumelo Vermelho teria feito essa cena bem, por ser uma criança, mas o Tommen pós Cogumelo Vermelho se saiu muito bem. Tywin e Tommen saem do Septo e Jaime entra e aí vem uma cena que nós muito aguardávamos: sexo entre Cersei e Jaime com o corpo do filho morto perto. Nos livros é um pouco diferente, mas falo disso no final do post para quem quiser saber um pouco mais. A primeira vista ficou me parecendo uma cena de estupro, mas li um pouco sobre o que o diretor quis passar, o que o Martin achou e tirei minhas conclusões baseadas nisso. Vejo a cena como aceitável para a linha cronológica que foi empregada na série, a relação dos irmãos está estremecida, mas ainda existe o desejo, de ambas as partes, mesmo que Cersei se negue no início, mas uma reprimenda tão sem força que não interessa se aquilo está mesmo errado, de verdade nenhum dos dois se importa muito, apesar da Cersei amar o Joffrey o toque do Jaime a faz arrepiar-se. Ao mesmo tempo em que pede para ele parar, ela o agarra e o beija. Não me parece estupro, mas, para vocês, parece?

“Eu não me importo”

Temos então, o encontro de dois personagens incríveis: Tywin e Oberyn. Oberyn estava curtindo a vida adoidado no único bordel de Porto Real (ao que parece) quando o Velho Leão chega para uma conversa “amigável”, como se fosse possível. Uma batalha com apalavras e ameaças veladas, ou nem tanto, é travada e uma proposta é feita. Tywin fala o que alguns pensavam, sobre o possível envolvimento do Martell com a morte de Joffrey. A raiva de Oberyn pelo o que foi feito a sua irmã é quase palpável, os olhares que ele lança para o Velho Leão são o ponto alto da cena. Essa cena também serve para mostrar que Westeros não está indiferente com o que acontece do Outro Lado do Mar Estreito, sabem da Dany. Vingança pela irmã, pede o Víbora, seu pedido será atendido tão facilmente?

Tyrion, acusado por Cersei (aka. Cersex) pelo assassinato de seu filho, é preso e recebe a visita do escudeiro mais fiel dos Sete Reinos, temos informações dos outros personagens, como Bronn e Shae, mas palavras são vento. Pod fala sobre o julgamento para o Duende, sobre Sansa e sobre a proposta de Tywin para o Príncipe de Dorne. Tyrion está com poucas opções e a cena do trailer me parece que se encaixa aqui, uma cena em que ele diz “Não sei se conseguirei escapar dessa”. Pod diz que foi feita uma proposta a ela, que, delatando Tyrion ele ganharia o título de cavaleiro, Tyrion o manda aceitar essa proposta para que se mantenha seguro. Por essa cena vejo que as esperanças de Tyrion estão quase que perdidas, ele apenas quer salvar aqueles que ama, proteger os que se importam com ele. Quais são as opções dele?
Quem iria defende-lo nessa situação? Peço que se lembrem de outro julgamento de Tyrion, esse no Ninho da Águia, na primeira temporada (saudades <3). Foi feito um julgamento por combate e Bronn foi o campeão dele. Bronn faria de novo esse papel se chegasse a esse ponto? Ou Jaime?

Terras Fluviais em direção ao Ninho d’Águia

Arya e o Cão continuam sua jornada pelas devastadas Terras Fluviais, depois da parceria deles no primeiro episódio e a retomada da Agulha de Arya vemos as consequências disso também. Maisie está ainda melhor em seu papel e o Cão é perfeito. Eles estão debaixo de uma ponte conversando e o Sandor diz algo engraçado, diz que se juntará aos Segundos Filhos (companhia de mercenários que está com a Dany), é engraçado porque ele é um segundo filho, para quem não se lembra ele é irmão do Montanha, Gregor Clegane. Arya faz menção a Braavos terra de Syrio e de Jaqen, o que me remeteu a moeda que ela tem. No meio da conversa eles são interrompidos por um homem e sua filha que oferecem abrigo aos dois. Somos lembrados da Fé dos Sete, que tem estado bem apagada, principalmente depois que R’hollor apareceu. O homem faz uma proposta de emprego ao Cão, que depois o rouba, levando toda a prata que ele tinha. Arya vai tirar satisfações, mas recebe palavras duras, mas reais, em parte, eles continuarão a jornada, mas será que Arya confia tanto quanto confiava no primeiro episódio? Ela pensava que ele estava a ajuda-la, mas ele apenas liga para ele mesmo. Mas como ela chegará no Vale sem a ajuda dele?  Será que é para lá que a Sansa está sendo levada também?

“Há piores que eu. Eu sei como as coisas são. Quantos Starks precisam perder suas cabeças para você perceber isso?”

Norte e Muralha

Sam quer proteger Gilly e a leva para Vila Toupeira, uma cidadezinha que fica perto da Muralha, onde os patrulheiros vão para aliviarem seu stress :P . A cidade é citada pelo Jon em seu “julgamento”. Sam gosta da Gilly, mas sua honra o impede de transgredir as regras. É um dilema parecido com o do Jon, mas não é aplicado em uma situação extrema como a do das Neves. Sam deixa-a na cidadezinha pensando que ela estaria protegida, mas o Inverno estava chegando. Os Thenn e os selvagens invadem a Vila e matam todos que encontram no caminho, libertando apenas um garotinho para que conte o que viu e ouviu aos patrulheiros. Gilly também foi morta? Quem não sabe de nada na verdade é o Sam? O menino consegue chegar até a Muralha e relata o ocorrido aos patrulheiros, dois patrulheiros que há muito estavam perdidos Para-lá-da-Muralha trazem novas notícias sobre a Fortaleza de Craster. Jon diz que Mance tem tudo para vencer, menos a informação que irá vencer e propõe uma incursão na Fortaleza de Craster para matar os patrulheiros que desertaram e evitar que as informações de Castelo Negro “vazem para os Selvagens”. Ótimas cenas, senti um Kit mais seguro no personagem. A relação dele com os outros patrulheiros ainda está balançada, mas quando se tem um inimigo em comum eles devem se juntar para combate-lo. De que lado os Selvagens chegarão primeiro?

Pedra do Dragão

Stannis crê mais ainda em sua Bruxa Vermelha e mostra a Davos a prova dos poderes de Melissandre. Ainda falta um rei, se bem me lembro. Davos lê a carta que diz que o Rei Joffrey está morto e fica com uma cara de incrédulo. Stannis o cobra pelo bastardo de Robert que Davos libertou (Gendry) e o contrabandista diz que uma guerra não é vencida com profecias. Mas afinal, há realmente poder no sangue de um rei? Stannis desdenha do exército que Davos juntou e recusa a proposta de contratar uma companhia de mercenários. Davos vai ter com Shireen, a filha fofa de Stannis, ele iria começar a ler uma história para ela, mas tem um estalo e uma ideia vem a sua mente. Ele resolverá o problema da falta de ouro com o Banco de Braavos? Por qual motivo o Banco lhe emprestaria ouro? O contrabandista resolverá os problemas de seu rei?

Os portões de Meeren

Mesmo não tendo conhecimento de heráldica temos aqui a cena que dá nome ao episódio. Daenerys, finalmente chega a Meeren, uma das principais cidades da Baía dos Escravos. O Campeão de Meeren zomba dos Imaculados de Dany e a insulta. Daario dá um jeito nele, mas não antes de uma grande campanha “Me escolhe Khaleesi!” para ver quem iria enfrentar o campeão de Meeren. Com a derrota de seu campeão Meeren lança flechas em direção a Dany, mas nenhuma acerta, e nem tenho certeza se queriam realmente acertar. Aqui vemos uma cena dos trailers também, é engraçado, me peguei assistindo o episódio e falando “Caraca, é a cena do trailer”. Dany então, dá mais um de seus discursos de Spartacus, em que diz que quer dar a liberdade aos escravos e livrá-los de suas correntes. Fala de Astapor e Yunkai, cidades que libertou da escravidão. Catapultas jogam barris dentro da cidade, com as correntes quebradas dos escravos que ela libertou. Os barris explodem e caem as correntes. Os escravos de Meeren veem as correntes quebradas e o episódio acaba. Dany está induzindo os escravos a se voltarem contra seus “donos”, fazendo com que adiram a sua causa, porque um ataque por dentro e por fora é muito mais eficaz, nossa menina cresceu e sabe como conquistar, mas sabe governar? Os meerenses irão se curvar facilmente a Nascida da Tormenta?

Saldo Final

Os produtores disseram que haveriam vários clímax durante a temporada, não só o episódio 9, mas em três episódios. Com o pé no acelerador Game of Thrones tem apresentado sua melhor temporada até agora.
Um episódio diferente do que estamos acostumados, sempre temos uma “história completa”, principalmente em se tratando de batalhas e cercos, mas esse episódio deixou um gosto de quero mais ainda maior. Com a qualidade técnica muito boa e uma direção impecável, o que faz com que o episódio passe muito rápido, Game of Thrones nos entrega mais um episódio digno, mas nada será tão bom quanto a morte do Joffrey.

Aquela explicação prometida [SPOILERS]

No livro, Jaime acaba de chegar em Porto Real e Joffrey está sendo velado, ele parte para o Septo de Baelor e encontra Cersei lá, ele ainda está desgrenhado, barbudo, mas eles transam, é aparentemente tudo consensual. MAS, George R.R. Martin disse, em nota, que “aprovou” o que foi feito na série, os personagens estão diferentes do que estão no livro, em parte e deixa uma pulga atrás da orelha: ele diz que parece consensual pois vemos tudo na visão do Jaime, mas a visão dele pode ser distorcida. Cersei deve ter tido repulsa e tentado se desvencilhar dele, mas na visão dele tudo era saudade e tesão. Achei satisfatória a resposta dele. Mas, por favor comentem sobre.

Martin, sobre a cena: “Nos livros, Jaime não está presente à morte de Joffrey e, de fato, Cersei está apavorada sobre ele também estar morto, sobre perder os dois, o filho e o pai/amante/irmão. De repente, Jaime está diante dela. Mutilado e mudado, mas Jaime, no entanto. Apesar de tempo e lugar descontroladamente inapropriados e de Cersei ter medo de ser descoberta, ela o deseja, assim como ele a deseja. Toda a dinâmica é diferente na série, onde Jaime está de volta por semanas, talvez mais, e ele e Cersei estão na companhia um do outro em diversas ocasiões, muitas vezes brigando. A configuração é a mesma, mas nenhum dos personagens está no mesmo lugar nos livros, o que talvez seja o motivo pela qual os produtores jogaram de forma diferente. Mas essa é apenas a minha suposição. Nós nunca discutimos essa cena, se eu me lembro bem. Além disso, eu estava escrevendo a cena do ponto de vista de Jaime, assim o leitor está dentro da cabeça dele, ouvindo seus pensamentos. Na TV, a câmera é necessariamente externa. Você não sabe o que cada um está pensando ou sentindo, apenas o que eles estão dizendo ou fazendo. Se a série tivesse preservado alguns dos diálogos de Cersei que estão nos livros, poderia deixar uma impressão diferente, entretanto, o diálogo foi moldado pelas circunstâncias dos livros, entregues por uma mulher que está vendo seu amante novamente pela primeira vez após um longo tempo separados, durante o qual ela temeu que ele estivesse morto. Não tenho certeza se teria funcionado com a nova linha do tempo. Isso é realmente tudo o que posso dizer sobre o tema. A cena sempre pretendeu ser perturbadora… Mas eu me arrependo se tiver sido perturbadora para as pessoas pelos motivos errados.” Fonte: Série Maníacos

Até a próxima semana,

João.