quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Resenha #136 Corte de Espinhos e Rosas

Título: Corte de Espinhos e Rosas
Série: Corte de Espinhos e Rosas #1

Autor: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 434 páginas
Gênero: Young Adult

Classificação: 4.5 estrelas

Sinopse: Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance.

Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.

Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... ou Tamlin e seu povo estarão condenados.

“Amo você. [...] Com espinhos e tudo.”


WOW! Nem sem por onde começar. Se você, querido leitor, é amante de contos de fadas, assim como nós, pode se preparar para se apaixonar por esse universo criado por Sarah J. Mass. Com uma mistura de Bela e a Fera e Guerra dos Tronos (e, me atrevo a dizer, uma pitadinha de Jogos Vorazes), ela te deixará implorando por mais ao final...

Aqui conhecemos Feyre, uma humana que luta com todas as suas forças (que já não são muitas) para sobreviver e cuidar de sua família, que vive na miséria, graças às fadas, que vivem na fartura, em um mundo isolado, enquanto os humanos vivem das piores maneiras possíveis. Todos conhecem as lendas e são instruídos a temer as fadas: feras cruéis e abomináveis, que não tem o menor escrúpulo e que vêem os humanos como lixo.



Isso é o que Feyre estava acostumada a pensar. Por isso, quando está no meio da floresta, morrendo de fome, procurando algo para caçar, e se depara com um lobo gigante, ela não exita em matá-lo sem dó nem piedade. E ainda utiliza uma flecha com um material que pode matar os feéricos, para ter certeza de que o animal morrerá, sendo sobrenatural ou não. O que ela não esperava é que isso mudaria sua vida drasticamente.

No dia seguinte, após vender a pele do lobo, um dos feéricos aparece em sua casa, e exige saber quem matou seu amigo, mas ao invés de matar Feyre, a responsável pelo crime, ele exige que ela vá morar com ele em suas terras, e corte qualquer laço com sua vida humana. Feyre, temendo por sua família, vai com ele, mas nem imagina que seu tempo no mundo das fadas não será tão horrível quanto ela pensa.

Chegando lá, ela percebe que está na Corte de Tamlin, um feérico lindo de morrer, apesar de não poder ver seu rosto com clareza, devido a uma máscara que não pode ser retirada de seu rosto por causa de uma maldição que acometeu toda a sua corte. Tamlin é misterioso, e apesar de odiar seu povo, Feyre se pega o admirando mais do que deveria.
Além de estar ali sem poder voltar para os humanos, sem ser prisioneira, ela descobre que há uma doença sobre a terra, que se espalha com violência e horror pelas cortes. Tamlin tenta detê-la de todas as formas possíveis, mas suas forças estão se esgotando, mesmo que ele se negue a se curvar diante de tais problemas. Mas algo nesta história é muito confuso para Feyre, que não sabe o que é tal doença, o que pode ser tão maligno e que incomoda tanto Tamlin.

E nesse meio tempo, vemos a relação entre os dois ir esquentando. A atração é tensa! Eles tentam lutar, mas é mais forte do que eles e sim, eles se apaixonam, mas não é tão fácil quanto parece, meus queridos, nunca é. Existem coisas que Feyre não sabe, e que Tamlin não pode lhe dizer, e por isso, ele resolve mandá-la de volta para sua família, para protegê-la a todo custo do perigo que está consumindo suas terras e suas forças.

Mas concordar em ir é uma das piores coisas que Feyre poderia fazer, e quando ela decide retornar para as terras feéricas, ela percebe que pode ser tarde demais. É então que ela descobre parte da maldição, e vê que ela pode ajudar Tamlin e seu povo a se libertar dela, de uma vez por todas. Mas, para isso, ela terá que enfrentar muitos perigos e arriscar sua vida.

Será que o amor por Tamlin a ajudará a vencer? Será as forças e a coragem de uma humana serão o bastante para libertar os feéricos do terror eterno? Será que, após ter vivido entre eles, Feyre aprendeu a amar o povo das fadas?

Essa é uma história incrível; um livro para ser lido de uma vez só. É impossível parar! Eu li suas 434 páginas em um dia só, e só me arrependo disso por saber que a continuação vai demorar um pouquinho para sair por aqui. Mas mesmo assim, valeu cada segundo gasto com essa história. Sério!
Esse foi o primeiro livro que li da Sarah, e nossa, que maravilha. O modo como ela escreve, descritivo, mas sem ser cansativo, te puxam para dentro da história. É com se você pudesse tocar os personagens, como se ela fosse um pintor, criando um mundo diante de seus olhos. E assim que ela os pinta, eles ganham vida e se tornam tão reais! É perfeito.

Tamlin é apaixonante em cada centímetro dele. Ele é fera perfeita, para uma história baseada nesse conto tão querido. Você se pega suspirando por ele durante a leitura. Demais! Feyre é uma personagem incrível também. Foi muito bem construída, com todas as nossas falhas e senso de justiça, tudo que um ser humano deve ser, e exatamente como ele deve ser retratado em uma história. Sem contar que ela representa o sexo feminino muito bem! Ela não desiste nunca, mesmo quando tudo parece impossível e ela já se dá por vencida. Melhor morrer tentando. Os personagens secundário, meu Deus! Que lindos! Lucien é ... nem sei o que dizer. Aquele cara que você ama demais, mas queria dar uns tapas por ser tão irritante. Quero mais de Lucien também, por favor! Enfim, existem personagens que você vai ter uma intensa relação de amor e ódio, e vocês vão entender exatamente quem é quando lerem. Ai que ódio/amor desse ser! E existem alguns outros que são muito bem construídos, mas são o demônio, e tudo que você vai sentir é ódio do começo ao fim.
Quanto ao gênero, vamos lá. Achei que a classificação para o jovem adulto foi um erro. O conteúdo é muito forte, e está muito mais voltado para o New Adult, do que outra coisa. Considero isso devido à faixa etária dos personagens, e também às cenas de violência, que são um pouco fortes para um jovem adulto. Além das cenas de sexo que são um pouco explícitas para o gênero, mas okay, o que está feito, está feito.

É um livro maravilhoso. É uma série (por enquanto, apenas uma trilogia, mas vamos ver...). Tem o melhor dos dois mundos: contos de fadas, fantasia, ação, romance. Tudo que uma história apaixonante merece e mais um pouco. Só não dei 5 estrelas porque achei que ela enrolou um pouco o desenrolar da história, e porque temo por um triângulo amoroso, que, aos meus olhos, é desnecessário.

Amei. Super recomendado. Espero que vocês leiam, e comentem por aqui.