quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Resenha #52 Os Segredos de Colin Bridgerton (Os Bridgertons #4)

Título: Os Segredos de Colin Bridgerton
Série: Os Bridgertons (#4)
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres. 
Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade. 
Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum. 
Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente. 
No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz. 
Em Os segredos de Colin Bridgerton, quarto livro da série Os Bridgertons, que já vendeu mais de 3,5 milhões de exemplares, Julia Quinn constrói uma linda história que prova que de uma longa amizade pode nascer o amor mais profundo.

“Você é o homem imperfeito do meu coração, 
e isso é até melhor.”

“Eu te amo mais do que tudo. 
Pelos filhos que teremos, pelos anos que passaremos juntos. 
Por cada um dos meus sorrisos e mais ainda pelos teus.”

E FOI ASSIM QUE EU MORRI DE TANTA EMOÇÃO. The End.

Okay, eu vou tentar elaborar um pouco mais.  Vejamos, acredito que esse seja o meu preferido até agora. Colin sempre foi meu favorito, mesmo quando aparecia nos outros livros, mas conhece-lo profundamente foi delicioso. 

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Resenha #51 A-LII

Título: A-LII
Autor: Ana Macedo
Editora: Literata
Páginas: 464
Classificação: 4 estrelas


Sinopse: Não deixem que nos calem. Em um mundo devastado pelas 3ª e 4ª guerras mundiais, A-LII, um clone criado em cativeiro, começa questionar sua existência, enquanto, Will, um garoto crescido nos subúrbios de uma Londres destruída, luta pela sobrevivência de sua família. O que ninguém espera é que, juntos, esses dois possam ser a chave de uma revolução contra a opressora Voz, mas, qual será o preço pago pela liberdade?




“Não deixem que nos calem.”


“– O mundo é cruel, filho, as pessoas simplesmente fingem não enxergar. 
Elas escolhem não enxergar.”

Cruel é ter terminado esse livro e não ter palavras para expressar, corretamente, o que foi essa viagem maluca. 

Em A-LII, encontramos um mundo destruído, onde a estupidez humana elevou-se a níveis surpreendentes. Aqui existe a Voz, um governo autoritário, ditador e sem escrúpulos, que por uma ironia do destino, silencia à todos que tentem discordar da sua maneira de reger o mundo. Também existem os rebeldes, que tentam derrubar esse governo de alguma maneira. Aqueles que estão cansados de sobreviver à um mundo com valores tão distorcidos.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Giro GeL #1

E aí, meu povo! Hoje vamos começar mais uma coluna aqui no GeL, onde vocês ficarão por dentro de tudo que rola em alguns eventos literários que participamos.

Para começar, em grande estilo, temos nada mais, nada menos que LUCINDA RILEY divando no evento da Novo Conceito, no último sábado, dia 16/08/2014.

Primeiramente, gostaria de parabenizar o pessoal da editora, pela simpatia e bom humor. Vocês estão no topo da lista das minhas editoras prediletas, não apenas pelo ótimo trabalho em TODOS os livros que lançam, mas pela maneira com que lidam com o público, muitas vezes exigente demais.

O gerente, Marcelo, muito simpático e engraçado, conseguiu conter as emoções de todos, naqueles momentos dolorosos de espera e ansiedade. 

A tradução estava espetacular, sério! Muito boa mesmo, sem perder nenhum detalhe. Simplesmente fantástico.

Resenha #50 Perdida (Perdida #1)

Título: Perdida
Autor: Carina Rissi
Editora: Verus
Páginas: 364
Classificação: 5 estrelas

Sinopse: Sofia vive em uma metrópole, está habituada com a modernidade e as facilidades que isto lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor a menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição. Após comprar um novo aparelho celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa. Com a ajuda de prestativo Ian, Sofia embarca numa procura as cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam leva-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...

“ – Sim. Sofia, vou fazê-la entender o que reluta tanto em aceitar.
Eu gemi baixinho, porque, se ele iria se esforçar ainda mais... 
eu realmente estaria perdida. Sem trocadilhos.”

Perdida é como eu me sinto após o término de um livro tão maravilhoso como esse!

Tudo começou em um evento do Clube Literatura Solidária, onde esteve presente a fofíssima Carina Rissi, contando um pouquinho mais sobre seus livros e mostrando muito amor e carinho pelos fãs. Eu, que já estava com o livro em mãos, e comecei a ler enquanto esperava o evento começar, já estava tentando me conter para não gargalhar com as cenas. A simplicidade da autora simplesmente me desarmou, e me fez querer ler ainda mais o livro.

domingo, 17 de agosto de 2014

#1 Sobre Primeiros Beijos...

Hey galera, olha a coluna nova chegando no GeL \o/

A Sobre Primeiros Beijos surgiu inicialmente com a proposta de ser um mega post especial aqui no blog sobre primeiros beijos (por isso o nome e por falta de criatividade, sorry rs). Então comecei a montar uma coletânea de primeiros beijos literários - independente da beleza da cena, só precisava ser o primeiro beijo, porém estava ficando MUITO grande e a Michelli deu a ideia de criar essa coluna, então voilà, aqui estamos com a primeira edição da SPB \o/

Muitos podem se perguntar porque escolhi falar/separar/catar primeiros beijos pelos meus livros. A resposta é simples, eu acredito que não haja nada semelhante ao primeiro beijo de um casal - independente deles ficarem juntos no final ou não... por isso resolvi reunir essas cenas porque elas merecem ser destacadas!

A cada post vou colocar cinco quotes de primeiros beijos e espero que vocês apreciem ;)

play na música e entre no clima de romance...







"E Alexander não aguentava mais. Curvou-se perto de seu rosto e a beijou. Como ele imaginara, os lábios de Tatiana eram macios, jovens e cheios. Tremia o corpo inteiro de Tatiana enquanto ela o beijava com tamanha ternura, tamanha paixão, tamanha carência, que Alexander, sem querer, deu um pequeno gemido. Ele estava aturdido pelas mãos de Tatiana, que puxavam sua cabeça e não a soltavam."

Tatiana e Alexander - O Cavaleiro de Bronze

Confira a resenha aqui








sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Lendo & Comentando #1 A-LII

E aí, meu povo!

Sexta-feira é dia de coluna nova aqui no GeL. Nesta coluna, estaremos comentando, principalmente, livros da Literatura Nacional, dando um pequeno gostinho e deixando vocês malucos para lerem o livro, e esperando ansiosamente pela resenha.


E é com muita honra, que daremos o pontapé inicial dessa coluna com nada mais, nada menos que A-LII, novo livro da Ana Macedo, que será lançado dia 31 de Agosto, em plena Bienal, pela Editora Literata.

Título: A-LII 
Autor: Ana Macedo
Editora: Literata
Páginas: 464



Sinopse: Não deixem que nos calem. Em um mundo devastado pelas 3ª e 4ª guerras mundiais, A-LII, um clone criado em cativeiro, começa questionar sua existência, enquanto, Will, um garoto crescido nos subúrbios de uma Londres destruída, luta pela sobrevivência de sua família. O que ninguém espera é que, juntos, esses dois possam ser a chave de uma revolução contra a opressora Voz, mas, qual será o preço pago pela liberdade?

HOLY CRAP ON A CRACKER! Cracólis, carambola, cacetada! WOW! WOW! WOW! (ok, parei :3) .... Mas sério, minha gente, alguém segura essa mulher, porque ela vai destruir meu coração, e eu estou apenas na metade do livro.

Em A-LII, conhecemos um mundo destruído pela guerra, governado pela Voz, que como toda "boa" ditadura, tem seus podres, mistérios, segredos, tramoias, e por aí vai...

O que está me cativando muito neste livro, é o simples fato de poder sentir na pele cada emoção dos personagens. A história contém muitas cenas fortes, que te deixarão abalado, sem saber o que fazer. Sim, Ana Macedo consegue te arrasar com poucas, mas precisas, palavras.

Resenha #49 Princesa Mecânica (As Peças Infernais #3)

Título:  Princesa Mecânica
Autor: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 434
Classificação: 5 estrelas


Sinopse: "Continuação de Príncipe mecânico, “Princesa Mecânica” é ambientado no universo dos Caçadores de sombras, também explorado na série Os Instrumentos mortais, que chega agora ao cinema. Neste volume, o mistério sobre Tessa Gray e o Magistrado continua. Mas enquanto luta para descobrir mais sobre o próprio passado, a moça se envolve cada vez mais num triângulo amoroso que pode trazer consequências nefastas para ela, seu noivo, seu verdadeiro amor e os habitantes do Submundo."

Hoje é dia de resenha dupla no GeL! Lembrando que o texto em Roxo sou eu (Barbara) quem está falando e o em Verde é a Raquel ;) Enjoy \o/


Terminei Princesa Mecânica...





Antes de qualquer coisa gostaria de avisar que essa resenha será extremamente emotiva, então me perdoem pelos excessos... rsrs

Dos livros que já li em 2014, nenhum me fez chorar tanto como Princesa Mecânica fez... pode ser que isso mude até o fim do ano, mas por enquanto PM está vencendo! 


Enfim, vamos ao livro!



Definitivamente Cassandra Clare desfez todos os nós que cercavam as Peças Infernais. Sim, temos solução para tudo e mais um pouco... - Barbara




"Cecily já tinha ouvido a mãe falar entretida sobre um rapaz vizinho que olhava para uma moça como se esta fosse 'a última estrela do céu', e era assim que Jem olhava para Tessa. " 


segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Resenha #48 Ugly Love

Título: Ugly Love
Autor: Colleen Hoover
Editora: Atria Books
Estrelas: 5
Compre: EN - http://amzn.to/2nmi9vM / PT - http://amzn.to/2nmlpY1

Sinopse: Quando Tate Collins conhece o piloto Miles Archer, ela sabe que não é amor à primeira vista. Eles nem iriam tão longe para dizer que eram amigos. A única coisa que Tate e Miles têm em comum, é essa inegável atração. Uma vez que seus desejos são descobertos, eles percebem que eles têm um arranjo perfeito. Esse arranjo pode ser surpreendentemente simples, contanto que Tate se atenha às duas únicas regras de Miles.


Nunca pergunte sobre o passado.
Não espere um futuro.


Eles acreditam que podem lidar com isso, mas percebem, quase imediatamente, que isso não será possível.


Corações são infiltrados.
Promessas são quebradas.
Regras são despedaçadas.
O amor se torna feio.

“O amor nem sempre é belo, Tate. Às vezes, você passa todo o seu tempo 
esperando que ele será, eventualmente, algo diferente. Algo melhor. 
Então, antes que você se dê conta, você está de volta ao ponto de partida, 
e você perdeu seu coração em algum lugar pelo caminho.”

Não sei como ela consegue, meus amigos, mas Colleen Hoover conseguiu outra vez. Este livro é completamente diferente de todos que eu já li dela, e acredite, ela realmente sabe inovar. Eu li, em uma resenha, que talvez ela fique o tempo toda trancada em seu esconderijo, planejando como despedaçar seu coração e fazer você ser completamente vulnerável a cada palavrinha escrita em seus livros. Pois bem, acredito nessa teoria, pois ela me fez ficar agarrada ao kindle em várias partes.

sábado, 9 de agosto de 2014

Resenha #47 Não Se Apega, Não

Título: Não se Apega, não.
Autor: Isabela Freitas
Editora: Intrínseca 
Ano: 2014
Páginas: 256
Classificação: 1,5 estrelas


Sinopse: "Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar um namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal PER-FEI-TO! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.
Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, das tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado.
Isabela Freitas, em seu primeiro livro, narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico."


"O desapego não é a indiferença, covardia ou desinteresse.
O desapego é se libertar de tudo aquilo que faz mal e causa sofrimento. 
Desapegar é sinônimo de se libertar. Soltar as algemas. 
Colocar asas. Se permitir voar novamente. 
O desapego é aceitação, é o desprendimento."
Pág 221

A agitação da noite de autógrafos da autora somando-se à pressão do vendedor naquele dia do lançamento do livro, fez com que eu o comprasse.

Quando eu cheguei à livraria, com aquela algazarra sem saber exatamente o que estava acontecendo, vi um livro rosa fofo com as pessoas da fila mas não sabia do que se tratava, ao chegar no caixa, vi ali a pilha de livros e perguntei sobre o que era, o vendedor vendo a chance de faturar, vendeu seu peixe e eu fui lá e comprei.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Resenha #46 Um Sorriso ou Dois

Título: Um Sorriso Ou Dois – Para mulheres que querem mais
Autor: Frederico Elboni
Editora: Benvirá
Classificação: 5 estrelas


Sinopse: Para Frederico Elboni, não existe certo ou errado quando os sentimentos estão em pauta. O que importa é encontrar harmonia e equilíbrio entre quem somos e o que fazemos; entre nossas ações e nossa perspectiva diante da vida. E, consciente de que mulheres trazem na bagagem alguns conflitos internos em relação ao mundo e aos homens – e haja conflito! –, esse jovem autor se dirige a elas: mulheres apaixonadas, decepcionadas, ingênuas, destemidas... Todas ansiosas por palavras que as façam abrir em seu rosto um lindo e incessante sorriso. Ou dois.


“Então é assim que a minha felicidade começa,
quando o meu sorriso vira consequência do seu.”

Simples. Engraçado. Sexy. Real. Intenso. Honesto.

Eu poderia ficar aqui falando várias coisas sobre esse livro, mas ainda assim, não seria capaz de descrevê-lo corretamente. Com uma pegada forte, e sem tempo para conversar fiada, Frederico Elboni nos conta a verdade nua e crua sobre relacionamentos e a vida em geral, de um ponto de vista não muito entendido pelas mulheres, mas que faz todo o sentido do mundo, quando paramos para refletir em suas palavras.

domingo, 3 de agosto de 2014

Resenha #45 Duas Vezes Amor

Título: Duas Vezes Amor
Autor: Karie Cotugno
Editora: Rocco
Classificação: 4 estrelas


Sinopse: "É possível se apaixonar duas vezes pela mesma pessoa? Em Duas vezes amor, elogiado romance de estreia da norte-americana Katie Cotugno, a jovem Reena descobre que sim. Aos 16 anos, ela vê seus sonhos interrompidos por uma inesperada gravidez, ao mesmo tempo em que enfrenta a ausência da mãe, que morreu quando Reena era criança, a indiferença do pai e o sumiço do namorado, Sawyer. Mas quando ele retorna à cidade, dois anos depois, e fica sabendo que é pai de uma menina, Reena tem a chance de tentar entender o que levou o garoto a desaparecer. E desse reencontro, os dois descobrem o amor pela segunda vez." 


Falamos desse livro em uma das nossas edições de “Waiting For...” e de cara a sinopse me atraiu. Esses relacionamentos mal resolvidos sempre chamam a minha atenção, e foi impossível resistir a Duas Vezes Amor.

A história é narrada em dois períodos, o Antes e o Depois. Em um primeiro momento, confesso, fiquei confusa por causa da linha cronológica. Os eventos se misturaram um pouco, mas ao longo dos capítulos a compreensão foi ficando mais clara. Essa forma de escrita me deixou curiosa quanto à forma, se a autora escreveu cada parte separada e depois foi interligando os capítulos ou se foi na ordem em que o livro está formatado... gostaria muito MESMO de perguntar a Katie como foi a mecânica desse livro, enfim... vamos à história.