segunda-feira, 6 de junho de 2016

Resenha #151 Epilogue (The Dark Duet #3)

Título: Epilogue
Autor: C.J. Roberts
Editora: Neurotica Books
Páginas: 209
Gênero: Adulto, Erotica, Dark, Romance
Classificação: 4 estrelas


Sinopse: Estou escrevendo porque você implorou. Você sabe como eu amo quando me imploram. Aliás, você, provavelmente, sabe de muitas coisas e as conhecem de cor e salteado. Quem sou eu? Bom, isso é o que eu estou tentando descobrir. Eu fui uma prostituta ainda muito jovem, um assassino desde a adolescência, e um monstro desde quando me tornei um homem. Eu sou o homem que raptou Livvie. Eu sou o homem que manteve cativa em um quarto escuro por semanas. Mas, mais importante, eu sou o homem que ela ama. Ela me ama. É perturbador, não é? Claro que há muito em nossa história para explicar em poucas palavras, mas eu não tenho como justificar meu comportamento naquela época. Acredito que, se você está lendo isso, eu não preciso me justificar. Você já encontrou suas próprias justificativas. Você está lendo isto, porque quer saber o resto da história. Você quer saber o que aconteceu naquela noite de verão em Setembro de 2010, a noite em que eu encontrei Livvie no The Paseo. Foi a noite em que minha vida mudou novamente. Não aconteceu exatamente como Livvie disse. Ela foi muito bondosa comigo ao recontar nossa história. A verdade é muito mais ... complicada.


“Sobrevivência é a mais importante das coisas. 
Ela nos dá a chance de viver e encontrar todas as coisas 
que fazem a vida valer a pena. Eu encontrei redenção. 
Eu encontrei perdão. Eu encontrei amor.”


AVISO: Esta resenha pode conter SPOILERS. Se você ainda não leu a resenha dos dois primeiros livros, leia aqui.

Caleb e Livvie estão de volta e preciso confessar que, mesmo com toda a estranheza destes dois, eu senti falta deles. Então, só para situar todo mundo, a série tinha terminado naquele segundo livro, quando Caleb está lendo o livro de Livvie, onde ela conta o que aconteceu com ela quando ele a raptou. Óbvio que ela fez tudo parecer melhor do que realmente aconteceu, se é que podemos usar a palavra “melhor” nesse caso.





“Prólogo: Este não é um romance. 
Romances são cheios de homens valentes e donzelas em perigo. 
Romances têm heróis dignos de tal título. 
Eles matam dragões e escalam torres para resgatar as belas princesas, 
com quem eles casam imediatamente e engravidam. 
Romances terminam com um “felizes para sempre”. 
Este não é um romance.
Esta é uma história de amor. 
Os personagens são tão falhos ao ponto de estarem quebrados. 
O herói é lindo, mas feio de maneiras que desafiam a imaginação comum.
 A heroína não está presa em uma torre, mas em um quarto escuro. 
Não há nenhum príncipe vindo a seu resgate. 
Enquanto o amor floresce e cresce, não há nenhum “felizes para sempre”. 
O amor nem sempre começa ou termina do jeito que gostaríamos.
Uma história de amor pode acontecer com qualquer um. 
Esta aconteceu comigo.” - Captive (livro da Livvie)


Mas a história de Livvie parou no momento do reencontro dos dois e, muitos fãs, assim como eu, ficaram morrendo de vontade de saber o que aconteceu com esses dois. Pois bem, neste terceiro livro, Caleb é quem narra os fatos, e nos conta o que realmente aconteceu naquele reencontro. Livvie fez tudo parecer muito fácil, mas a verdade foi um pouquinho mais complicada. 

Ao finalmente encontrar Livvie, Caleb percebe o quanto ela mudou. Ele esperava que ao vê-lo, ela iria se atirar em seus braços e fazer o que ele quisesse, mas não foi isso que ele encontrou. Livvie tinha suas reservas quanto a Caleb. Entenda, ela ficou muito tempo longe dele e começou a pensar em tudo que ocorreu enquanto ele manteve cativa.

Não, não foi fácil para ela viver com suas memórias e com seu amor por ele. Sim, ela ainda o amava, mas a história dos dois era muito complicada para que tudo ficasse bem com apenas um beijo apaixonado.

E assim, Caleb nos conta como foi que ele, um assassino, um monstro, resolveu tentar mudar de vida por Livvie. Não pense que as ideias sombrias dele o deixaram assim, sem mais nem menos. Após viver toda sua vida na escuridão, seria muito complicado se ajustar a uma vida normal. Acho que nenhum dos dois conseguiria isso.


“Eu não sei quem eu sou ou o que quero. 
Tudo que sei é que sem você... sem você, não há nada. 
Eu não sou nada. Você tem ideia do quão aterrorizante 
isso é para alguém como eu?”


“Você é a melhor coisa que já aconteceu na minha vida, Caleb. 
E também é a pior. Eu estou tentando conciliar os dois. Me ajuda?”


Sim, algumas cenas foram muito desconfortáveis para mim, como eu já imaginei que seriam, apenas pelo fato de ser os dois. Óbvio que o clima é muito melhor que os dois primeiros livros. Tudo que é feito entre os dois é com o consentimento de Livvie, então, é, vocês entenderam...

Infelizmente, apesar de ter gostado muito deste livro por ele ter mostrado lado de Caleb que eu sempre soube que estava escondido em algum lugar, e apesar de achar que James (o outro lado de Caleb) é muito engraçado e fofo quando quer, não sei se a autora deveria ter escrito este livro.

Eu fiquei com a sensação de que o final da série, nos dois primeiros livros, foi sensacional e acabou exatamente como deveria. Entenda, Caleb e Livvie sempre serão duas almas torturadas, que mesmo tentando viver na luz, sempre serão parte da escuridão. A única coisa que os mantém firmes, e os permitem viver um pouco de normalidade, é o amor improvável que nasceu entre eles. Aqui nós realmente vemos que Livvie o ama e não há nada que ninguém possa fazer para mudar isso.

Enfim, pra quem já leu os dois primeiros, eu recomendo. Pra quem não leu nada, leia. A escrita de C.J. Roberts é envolvente. Vale a pena e é por isso que eu classifiquei com 4 estrelinhas.

Se você ainda não conhece os dois primeiros livros, leia nossa resenha: The Dark Duet

E claro, assim como nos dois primeiros, este não poderia ficar sem uma playlist, né? 

1) Up In The Air, 30 Seconds To Mars


2) A Beautiful Lie, 30 Seconds To Mars


3) From Yesterday, 30 Seconds To Mars


4) Lost In Paradise, Evanescence


5) Good Enough, Evanescence