sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Resenha #137 Como Eu Era Antes de Você

Título: Como Eu Era Antes de Você
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Gênero: Romance
Classificação: 5 estrelas
Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.
Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.


Resenha dupla na área galera! Roxo são palavras da Barbara e Pink da Raquel. Enjoy!


Hey folks, um aviso antes de você começar a ler... pegue uma caixa de lenços de papel. Você vai precisar! Aproveita e dá play e entre na vibe. - Barbara



Loving can heal
Loving can mend your soul




É verdade, eu demorei a ler esse livro por um simples motivo: Todos diziam que eu ia chorar, muito! E eu não estava com vontade de chorar com nenhum livro, não importando o quão perfeito ele fosse... mas aí começou a sair notícias do filme, as pessoas só sabiam falar de Lou com suas roupas diferentes e Will rabugento. Como se já não fosse o suficiente, Raquel resolveu ler rsrsrs. Eu tomei vergonha na cara e fizemos um BR (Buddy Read) e essa resenha é o resultado. - Barbara




"Às vezes, Clark, você é a única coisa que me dá vontade de levantar da cama."


UAU. Não sei muito bem o que dizer. Estou meio abalada ainda, com o coração completamente destruído pra falar a verdade. Roberto Carlos foi um gênio quando escreveu: "Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi". Com certeza, meu caro, foram muitas emoções. Foi um caos de emoções. - Raquel

Lou Clark é uma jovem mulher que acabou de ficar desempregada, em um momento muito difícil para a família, como o pai também está quase perdendo o emprego, em uma família grande toda a ajuda é importante. Lou está desesperada por um trabalho e é esse “desespero” que a leva a casa de Will Traynor. - Barbara



Will é um homem que ficou tetraplégico a dois anos, como sempre teve uma vida ativa, vivia de aventuras e grandes momentos, a nova adaptação a sua condição é no mínimo complicada.
Até a Lou entrar em sua vida... - Barbara


We made these memories for ourselves
Where our eyes are never closing


E ele na dela…


Our hearts were never broken
And time’s forever frozen still



Na real, eu sabia o que ia acontecer com o Will desde que comecei a ler o livro. Posso ouvir uma voz dizendo: "Fez bem em ter medo, jovem padawan. Fez muito bem." Este é um tipo de história que te faz ficar apaixonado, mas cria um ódio absurdo. Mesmo que durante todo o enredo os sinais de que realmente não havia esperança estavam lá... o tempo todo! Sei que amei os personagens, até mesmo a Treena no final. Os únicos intragáveis eram Patrick (chato toda vida) e Georgie... seres humanos desprezíveis. - Raquel

Eu não vou entrar em mais detalhes daqui pra frente, vou dizer que as lágrimas ficaram bem presas aos meus olhos até as páginas finais. Existe um misto de sensações que até hoje não consegui assimilar muito bem. Lou é uma garota que qualquer uma de nós poderia ser ou ter como amiga, ela é muito real, com problemas muito reais e difíceis de lidar, presa em um relacionamento que não anda... quem nunca viveu isso ou conheceu alguém assim? Sim, ela é real.

“- Você... é uma figura Clark.”

Sobre o Will... é impossível se colocar no lugar dele, o máximo que dá é tentar (tentar com força) compreender as decisões que ele toma para si. Apesar da rabugice inicial, é impossível não se apaixonar por ele, as marcas que ele forja na vida da Lou... é incrível. - Barbara



Will e Lou não pretendiam se amar. Will e Lou não poderiam ser mais diferentes... mas os opostos realmente se atraem. Não posso imaginar como é viver a vida dependendo dos outros para tudo. Ainda mais para uma pessoa tão ativa quanto Will, mas não sei qual seria minha reação diante da situação que Lou teve que enfrentar. O relacionamento dos dois foi tão real, que no fim só nos resta a compreensão da dor que Lou sente, pois reflete a mesma que estamos sentindo. - Raquel

O tema da história é complexo, polêmico, mas bem trabalhado. É sim uma história de amor bem incomum, mas ainda assim uma história de amor. Amar é respeitar a decisão e a escolha do próximo, mesmo que tudo dentro de você grite não, mesmo que vá contra tudo que você acredita. No fim, a escolha nunca é sua. - Raquel



A Jojo Moyes é uma destruidora de corações, aprendi isso com Um Mais Um, mas em Como Eu era Antes de Você, ela pega seu coração e vai quebrando aos pouquinhos e ao final da leitura só sobra um montinho de lágrimas. Eu lembro de terminar de ler por volta das 4 da manhã, as meninas estavam me esperando para saber a minha opinião, mas eu fiquei na minha cama, abraçada ao livro por um longo tempo e agradecendo a Jojo por esse presente em forma de livro. - Barbara

“- Mas gosto de Will. Gosto muito.
- Ah, merda.”

Antes de terminar essa resenha eu preciso fazer meu papel como blogueira e falar a respeito da edição. A Intrínseca é uma das minha editoras favoritas, mas ela me decepcionou com essa tradução, a minha versão é a 1ª edição de abril de 2013. Tem uns erros bem gritantes que me incomodaram. Não tiro estrelas na minha avaliação porque a obra não merece, mas a edição sim. Por isso 3 estrelas para a tradução/revisão. - Barbara

A edição braseileira é linda, mas deixa a desejar, e muito, na revisão. Partes em que faltavam letras, palavras, palavras duplicadas e até mesmo a troca do nome de um personagem durante um diálogo. Isso me deixou nervosa, poxa era de se esperar que a Intrínseca cuidasse melhor dessa parte, né? Mancada! Mas nada disso tira o teor da história. - Raquel

Enfim, não vou me prolongar... eu sei que muita gente já leu, outras ainda não... Se você como eu, ainda não leu, leia! Eu estava com esse livro na estante desde 2013 e após a leitura eu só conseguia me perguntar por que não tinha lido antes. Leia, e aceite o conselho de ter por perto uma caixa de lenços. Rs - Barbara

Lenços, artigo fundamental para ler esse livro. E, se em algum momento, por ingenuidade, achar que está tudo bem, não se iluda. Nem tudo é o que parece ser. E é por isso que vocês devem ler esse livro. Vai ser dolorido, mas vai ser tão real, que vai marcar sua vida e, mesmo em meio as lágrimas, vai arrancar alguns sorrisos. - Raquel

Não te lembra algo? Sim, a vida.



Inside these pages you just hold me
And I won't ever let you go



Não deixe de conferir o trailler!

















*Quotes em inglês da música Photograph – Ed Sheeran