segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Resenha #115 Zac&Mia

Título: Zac&Mia
Autor: A. J. Betts
Editora: Novo Conceito 
Ano: 2015
Páginas: 288
Classificação: 3 estrelas
Sinopse: A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia - bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso.
No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela.
Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente.
Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro?
Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias.


Hey pessoal!

Hoje a resenha é de mais um livro de parceria com a Novo Conceito. Quando li a sinopse pela primeira vez, eu imaginei uma história bem diferente da que encontrei. Zac & Mia tem um toque de humor, o que é interessante para um livro com um tema pesado, mas ao mesmo tempo tem toques amargos.

O livro se passa na Austrália, Zac e Mia são dois adolescentes muito diferentes, mas infelizmente com algo em comum: o câncer.



Zac está internado em quarentena após passar por um transplante de medula. O Quarto 1 é a sua “fortaleza” e onde vai passando seus dias na companhia da mãe, das enfermeiras e médicos que acompanham seu caso. Agora, imagine o quanto é difícil para um garoto passar vários dias apenas na companhia da mãe, sem poder fazer esforço e em um espaço bem limitado? Enlouquecedor!




Mia é uma menina aparentemente muito cool, cheia de amigos, um namorado sexy, faz e acontece... até que se descobre com câncer. Ela tem uma péssima relação com a mãe, é a típica garota revoltada. Se eu pudesse definir Mia em uma palavra no início desse livro seria: Fútil.




Ela é internada no Quarto 2, vizinho ao de Zac, para suas sessões de quimioterapia, e de forma improvável eles se tornam amigos e é quando toda a história começa.

Eu achei o livro bem legal, mas não emocionante. Na verdade achei a Mia uma garota muito irritante do começo até praticamente os últimos capítulos, ela está com tanta raiva por estar doente e isso é compreensível, mas a raiva dela é direcionada a pequenas coisas como: “será que não vou poder ir ao baile da escola” “as pessoas vão deixar de gostar de mim porque meu cabelo caiu” e coisas do tipo. Esse tipo de atitude poderia ser justificada pelo medo de enfrentar a doença e até por considerar isso injusto, mas não foi o que percebi em Mia. Ela era, na verdade, uma pessoa egoísta.

“Sem a minha aparência, o que resta? Não sou inteligente, nem gentil, nem talentosa, nem criativa, nem divertida, nem corajosa. Eu não sou nada.”

Por outro lado o Zac tem todo o apoio da família, uma mãe amorosa que eu adorei desde o começo. A irmã dele, Bec, é uma personagem que faz toda a diferença no livro, ela quem anima o irmão e o protege como uma irmã mais velha.

“Minha mãe: Coordenadora de Atividades, Comitê de Boas-Vindas Extraoficial, Detetive de Diarréia e Polícia da Felicidade. Ela salta de um papel para o outro, tampando buracos, trocando instrumentos, espetando, fazendo.”

Ele é um jovem que aparentemente está lidando com tudo muito bem, enfrentando a doença com coragem e bom humor (às vezes), mas logo percebemos que ele tira forças do apoio familiar, não se considera um jovem valente, corajoso ou especial, apenas alguém que não desistiu.

Zac & Mia é um bom livro, um jovem adulto da família de A Culpa é das Estrelas, e segue a linha, lidar com temas complicados e difíceis na adolescência. Eu achei interessante a forma como a autora abordou o tema câncer, não dramático como os livros do Nicholas Sparks, mas ao mesmo tempo sem ser leviana o que rendeu alguns diálogos bem sensíveis. Ponto positivo!

Gostei demais também das referências geeks no livro, o Zac é apaixonado pela Emma Watson então o nome dela é citado o tempo todo no livro rs.



Por outro lado, não senti profundidade na personalidade de nenhum personagem. Em vários momentos pensei que o momento estava chegando e que eu veria mais do que o superficial, mas com as passagens de tempo muito rápidas, isso não aconteceu. O livro acabou e eu senti que ainda não tinha conhecido muito bem o Zac e nem a Mia, sem falar nos outros personagens que são citados, são importantes - na minha opinião - mas nem aparecem.

A edição está bem bonita, páginas amarelas (<3) e eu preciso dar destaque para a diagramação, alguns diálogos são via mensagens de texto/carta/internet e realmente ficou ótimo como a equipe da editora organizou. O livro também vem com várias notas do editor no rodapé explicando referências e etc, então fica simples entender gírias e outras palavras ou coisas não comuns a nossa cultura.

Bom, por hoje é isso! Se você gostou da resenha, não deixe de comentar.
Até breve
xoxo