sexta-feira, 10 de julho de 2015

Resenha #98 A Playlist de Hayden

Título: A Playlist de Hayden
Autor: Michelle Falkoff
Editora: Novo Conceito
Páginas: 283
Gênero: Young Adult
Classificação: 3 estrelas


Sinopse: A Playlist de Hayden - Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente

Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.

A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

“Pensei por um minuto sobre a crescente lista de pessoas que se sentiam 
responsáveis pela morte de Hayden. Todos nós estávamos certos e todos 
estávamos errados ao mesmo tempo. E, por fim, foi Hayden quem tomou 
aquela decisão. Foi ele quem deixou todos nós ali, tentando descobrir 
o que havia acontecido, impossibilitados de falar que sentíamos muito, 
para fazer a coisa certa. Eu jamais entenderia o quanto ele se sentiu ferido, 
confuso e desesperançado a ponto de decidir que não valia mais a pena tentar, 
e não estava irritado com ele por ele ter decidido fazer aquilo, 
mas jamais gostaria de sentir o mesmo. E também jamais gostaria 
de fazer outra pessoa se sentir assim.”


A Playlist de Hayden foi uma surpresa um tanto quanto desagradável para mim. Sabe aquele livro que você, ao terminar a leitura, não faz a menor idéia de como se sentir sobre tudo o que aconteceu na história? Esta sou eu neste exato momento. Por isso, peço que tenham paciência comigo, enquanto tento entender como realmente estou me sentindo.




Se fosse fazer um resumo das minhas reações durante a leitura, seria assim:








Pelos gifs acho que já deu para entender como foi minha experiência, mas vou tentar elaborar. Quando descobri esse livro, em meados de Janeiro, não fazia a menor idéia de que Playlist For The Dead iria ser lançado por aqui, e ainda mais este ano. Quando vi que a Novo Conceito estava lançando o livro por aqui, fiquei super empolgada, pois a sinopse prometia algo incrível.

Foi então que, pela parceria com a editora, recebi um exemplar e me joguei de cabeça... ou tentei. Infelizmente, toda a minha empolgação foi em vão, o livro meio que me decepcionou. Não sei explicar bem o porquê, só sei que um dos motivos que me fizeram desgostar tanto assim, foi o fato de autora tentar lidar com assuntos como bullying e suicídio de uma forma leve demais.

O livro conta a história de Sam após perder seu único e melhor amigo, Hayden, de uma forma drástica. Hayden tira sua própria vida após uma festa, onde algo grave aconteceu, que Sam precisa descobrir para entender o porquê dos atos de seu amigo.

A princípio, você pensa que Hayden e Sam eram do tipo de melhores amigos que sabiam TUDO, exatamente tudo, um do outro, mas não é o que se descobre ao longo do livro. Aparentemente, Hayden mantinha alguns segredos que não queria compartilhar com seu melhor amigo, algo que mudou completamente sua vida.

Após a tal festa, Hayden vai para casa e monta uma playlist para seu amigo e a deixa com um bilhete: “Ouça. Você vai entender”.  Sam escuta a playlist, mas não consegue entender a mensagem que seu amigo deixou, assim como falhou em perceber que Hayden poderia atentar contra a própria vida, como o fez.

Entre uma música e outra, entre detalhes e vislumbres do passado, podemos ver que, embora fossem melhores amigos, os dois se sentiam solitários. E ambos sofriam bullying por serem considerados esquisitos e desajustados.

Sam se vê um pouco perdido sem o amigo e um tanto irado e indignado com o fato de as pessoas que foram bastante responsáveis pela morte de Hayden continuarem com suas vidas normalmente, e o pior, fingirem que se importavam durante o velório, quando na verdade, transformaram a vida do garoto em um inferno.

Mas Sam também segue um pouco de sua vida sem Hayden, e acaba fazendo coisas que ele gostaria de ter feito há muito tempo, mas se prendia por causa do amigo. Sim, isso denegriu a imagem do Sam para mim, fez parecer que o amigo era um fardo e não seu melhor amigo.

Mas quando Sam resolve descobrir realmente o que aconteceu, e o que Hayden poderia querer dizer através daquela playlist, ele percebe que existe muito mais coisas que aconteceram na tal festa e, pista após pista, ele dá de cara com uma verdade que foi o que me fez mudar a classificação para 3 estrelas.

Enfim, não sei mais o que falar sobre o livro. Demorei muito para ler, e para conseguir resenhar, pois não consegui entender a mensagem que ela quis passar. Meu conselho é: Leia com a mente aberta, e sabendo que o ritmo da narrativa é um pouco lento.  Você pode chegar aqui e comentar depois como foi sua leitura e se foi só impressão minha...

“A playlist de Hayden fez com que eu me sentisse conectado com ele e também 
fez com que eu me abrisse para um monte de coisas que eu não ouvia antes.”