terça-feira, 21 de julho de 2015

Resenha #101 Fragmentados (Unwind Dystology #1)

Título: Fragmentados
Autor: Neal Shusterman
Editora: Novo Conceito
Páginas: 320
Gênero: Distopia
Classificação: 5 estrelas
Sinopse: Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria .
Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.
O vencedor do Boston Globe-Horn Book Award, Neal Shusterman, desafia as ideias dos leitores sobre a vida: não apenas sobre onde ela começa e termina, mas sobre o que realmente significa estar vivo.


Estou surtando!

Gente! Que livro incrível!!! Estou me perguntando até agora como não tinha lido ele antes!!!

30 segundos de surtos depois...

Hey pessoal, como estão?

Hoje eu estou muito empolgada e louca para escrever sobre esse livro para vocês. Sério, a minha mente ficou alucinada e eu ainda estou na ‘vibe’ do livro, que acabei de terminar de ler, então preparem-se para uma resenha apaixonada!

“Eu prefiro ser parcialmente grande a ser completamente imprestável.

Fragmentados é uma distopia que nos apresenta uma sociedade reformulada após a Guerra de Heartland, que nada mais foi que a população dividida entre os Pró-Vida, aqueles que eram contra o aborto, e os Pró-Escolha, que entendiam que era uma opção da mãe abortar ou não. Para chegar a paz, foi desenvolvido uma lei que agradou ambos os lados e enfim a paz foi restabelecida.

Essa lei foi chamada de A Lei da Vida, ela protegia o feto, a criança e o adolescente até a idade de 13 anos. Sua vida deveria ser mantida e protegida até essa idade, a partir de então os pais teriam a opção de “abortar” a criança retroativamente caso não quisessem mantê-la por qualquer motivo, ou seja, doar seus órgãos e partes do corpo para que assim ela fosse útil para a sociedade de alguma forma. Esse processo passou a ser chamado de Fragmentação e uma pratica muito comum naquela sociedade.




É nesse mundo, no mínimo louco, que nós conhecemos os nossos três protagonistas: Connor, Risa e Lev.

“Em um mundo perfeito, todas as mães desejariam seus bebês e estranhos abririam seus lares para aqueles que não são amados. Em um mundo perfeito, tudo seria preto ou branco, certo ou errado, e todos saberiam a diferença. Mas este não é um mundo perfeito. O problema são as pessoas que pensam que sim.”

Connor é um garoto “problema”, seus pais não suportam mais suas constantes brigas e notas baixas, então com 16 anos eles assinam a ordem de fragmentação. Risa é uma tutelada do governo a 16 anos, como constantemente eles recebem crianças abandonadas, só se mantém inteiros aqueles que podem fornecer algo de “útil” para a sociedade. Risa não é considerada “útil” o suficiente e por esse motivo é enviada para a fragmentação. O último é Lev, ele é o mais jovem e nasceu com o objetivo de aos 13 anos ser fragmentado, ele é o que chamam de dízimo, então deve ser devolvido para Deus e assim servir a um “propósito” maior ou nobre.

A história desses três converge em um momento de desespero. Fugitivos que lutam para se manterem vivos e principalmente inteiros.

“Não levou muito tempo para que a ética fosse esmagada pela ganância. A fragmentação tornou-se um grande negócio, e as pessoas deixaram que acontecesse”

Fragmentados é um livro incrível, que trata de um assunto polêmico de forma simples, brutal e clara. Eu sou uma pessoa totalmente contra o aborto, convicta na minha posição e esse livro traz uma nova perspectiva para adolescente e adultos a respeito desse assunto. A narrativa é muito fluida e o Neal insere os novos hábitos dessa sociedade de forma magistral, cada detalhe que ele apresenta no inicio é importante no fim, e ele vai apresentando os porquês com uma sutileza que prende o leitor e não o deixa confuso.

Em Fragmentados, Neal Shusterman dá uma aula de como se escreve uma distopia! É incrível como ele coloca aspectos normais da nossa sociedade real e insere na “irreal” do livro. Eu poderia ficar muito mais tempo elogiando o trabalho desse escritor e seu livro absurdamente bom, mas vou simplesmente dizer: Compre e leia! Dou minha palavra de leitora voraz que você não vai se arrepender! É um tema não muito colocado em livros, não conheço nenhum que trate desse assunto com tanto brilhantismo, então leia, leia e leia! É com certeza um dos melhores livros que li em 2015 até agora.

Fragmentados é uma série de 4 livros e 1 conto que já foram todos lançados lá fora, esse ano, o primeiro está chegando publicado pela Novo Conceito. Eu já estou na campanha para o lançamento dos próximos! Leiam e entrem na campanha comigo! #QueremosacontinuaçãodasérieUnwindDystology

“- Não sei o que acontece com nossa consciência quando somos fragmentados. Nem sei quando é que começa a consciência. Mas de uma coisa eu sei. Nós temos direito à vida!

Espero que tenham gostado da resenha, não deixem de comentar com sua opinião e em breve eu volto com mais.
Xoxo