terça-feira, 4 de novembro de 2014

Resenha #62 Quase Casados

Título: Quase Casados
Autor: Jane Costello
Editora: Record
Classificação: 5 estrelas
Sinopse: Para Zoe Moore, o dia de seu casamento foi o mais marcante de sua vida. Ou melhor, o dia em que deveria ter se casado, mas em vez disso, foi largada no altar após sete anos de namoro. Arrasada e disposta a se recuperar, ela decide se mudar de Liverpool para os Estados Unidos e trabalhar como babá. Ao chegar em Boston, ela se depara com a esperta Ruby, prestes a completar 6 anos, o adorável Samuel, que acaba de fazer 3, e o pai deles, Ryan Miller. Seu novo chefe, além de fazer uma bagunça sem precedentes e de ter um mau humor imbatível, é incrivelmente bonito. Depois de um começo um tanto decepcionante, Zoe e Ryan começam a se entender, mas ela está prestes a descobrir que recomeços podem ser mais difíceis do que esperava.


Chick Lit tão bom quanto os da Sophie Kinsella!

Deixa eu avisar uma coisa antes de começar essa resenha, eu não sou fã de chick lit, geralmente é um tipo de livro que eu passo longe por N motivos (quem sabe um dia eu conto ou quem tiver curiosidade pergunte nos comentários que eu explico), e não foi por falta de tentativa, tentei alguns autores desse gênero e simplesmente não rolou... Mas um belo dia, conheci Sophie Kinsella e minha vida mudou – nem tanto assim rs. Foi quando passei a gostar de chick lit, na verdade só gostava dos livros dela, uns mais outros menos. Isso nos leva ao livro dessa resenha!



O anúncio da capa é: “Se você é fã de Sophie Kinsella, vai amar Jane Costello!” Se a propaganda diz eu resolvi acreditar, afinal se está comparando com a única autora desse gênero que eu leio então preciso dar uma chance. E não é que a propaganda estava certa! Esse livro é tão bom quanto os da Sophie! #comemora #seráqueacheiminhasegundaautoradechicklit?!

Mas vamos falar sobre o livro que é o motivo de você estar lendo essa resenha. ;)

Zoe acabou de ser abandonada pelo noivo no altar, então pra tentar esquecer o cara ela toma uma decisão radical, se mudar para os EUA e começar uma nova vida como babá de uma família americana. Chegando ao seu novo lar, ela descobre que as coisas não são bem como a agência tinha dito e ela se vê na casa de um viúvo super gato, cuidando de seus dois ‘pestifilhos’ #roubada, e ainda lutando para esquecer o noivo sacana.


Drama aqui vamos nós...

A vida de Zoe está uma bagunça, mas o que mais gostei na personagem é o fato dela não ser uma tolinha que sofre, é sabotada, sofre um pouco mais e aguenta tudo calada pra no final dar a volta por cima.
Não.
Zoe enfrenta tudo, inclusive seu novo chefe super gato (segunda vez, eu sei), porém um babaca em alguns momentos rs. Uma das melhores cenas no livro é uma discussão entre eles dois na cozinha, é de matar de rir!

Acontecem muitas cenas “micantes”, mas não são tão terríveis ao ponto de você nunca se imaginar em uma delas, todas são possíveis de acontecer conosco pobres mortais. Mais um ponto positivo!

Zoe também conhece outras babás da vizinhança e essas histórias secundárias dão um gás no livro, ele não gira entorno da personagem principal 99,9% do tempo e eu particularmente gosto muito disso. Uma boa história precisa de bom desenvolvimento dos personagens secundários, eles são importantes para dar suporte à história principal.

Bom, não vou entrar em detalhes porque você, querido leitor, merece descobrir o que acontece nesse livro. Será que o ex-noivo se explica? E Ryan, o chefe de Zoe, será que vai continuar sendo um babaca? E seus pestifilhos melhoram?



Leia, vale a pena e você vai se divertir ;)
Até a próxima xx