segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Resenha #61 Para Onde Ela Foi

Título: Para onde ela foi
Autor: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Páginas: 240
Classificação: 4 estrelas

Sinopse: Meu primeiro impulso não é agarrá-la nem beijá-la. Eu só quero tocar sua bochecha, ainda corada pela apresentação desta noite. Eu quero atravessar o espaço que nos separa, medido em passos não em milhas, não em continentes, não em anos , e acariciar seu rosto com um dedo calejado. Mas eu não posso tocá-la. Esse é um privilégio que me foi tirado. Com a mesma força dramática de Se Eu Ficar, agora pela voz de Adam, Para Onde Ela Foi expõe o desalento da perda, a promessa da esperança e a chama do amor que renasce.

“Então é assim que ficou? É assim que eu fiquei? Uma contradição ambulante, sou cercado por gente e me sinto sozinho. Clamo por um pouco de normalidade, mas, agora que tenho um pouco, é como se não soubesse o que fazer com isso, não sei mais como ser uma pessoa normal.”

Agonia. Desespero. Vazio. Esses foram alguns dos sentimentos que me inundaram durante a leitura desse livro. Enquanto “Se Eu Ficar” foi uma incerteza, “Para Onde Ela Foi” é como um gigantesco grito de angústia, um apelo do fundo da alma de Adam.

Aqui, Adam nos conduz ao “depois” de sua história com Mia, que nunca teve um final feliz. Na verdade, nem final teve. Mia simplesmente foi embora, sem uma única palavra, sem nenhuma explicação. Enquanto isso, Adam e a Shooting Star explodem nas paradas, e ele vive uma vida de astro do rock. E, enquanto todos acham que é isso que ele quer da vida, ele vai cada dia sentindo o grande vazio que existe por dentro consumi-lo.


Preciso dizer que ver as coisas do ponto de vista de Adam foi excepcional. O tempo todo me senti exatamente como ele, sentindo sua dor, seu vazio me consumir também. E quando ele revivia suas lembranças, era como se tudo estivesse acontecendo bem diante de meus olhos.

Apesar de não ver Mia há muito tempo, Adam acaba a encontrando, e aí, meus queridos, é impossível não começar a devorar o livro! Fortes emoções que abalam a estrutura das coisas acontecem, e forçam os dois a finalmente dar um ponto final à sua história conturbada.

O final? Surpreendente. Mas posso dizer que gostei muito mais deste segundo livro. Adam é um personagem fantástico, que provoca tantas emoções complexas dentro da gente, que é impossível não se apaixonar.

Não, eu não posso falar mais do que isso.  Este é um livro que precisa ser encarado sem o menor spoilerzinho. TUDO QUE VOCÊ FICAR SABENDO PODE ESTRAGAR A LEITURA. Mas vá em frente, leia e se surpreenda. Vale a pena.