segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Resenha #59 Magisterium - O Desafio de Ferro

Título: Magisterium – O Desafio de Ferro
Autor: Cassandra Clare, Holly Black
Páginas: 384
Editora: Novo Conceito
Classificação: 5 estrelas



Sinopse: AMIGOS E INIMIGOS. PERIGO E MAGIA. MORTE E VIDA. A maioria dos garotos faria qualquer coisa para passar no Desafio de Ferro. Callum Hunt não é um deles. Ele quer falhar. Se for aprovado no Desafio de Ferro e admitido no Magisterium, ele tem certeza de que isso só irá lhe trazer coisas ruins. Assim, ele se esforça ao máximo para fazer o seu pior... mas falha em seu plano de falhar. Agora, o Magisterium espera por ele, um lugar ao mesmo tempo incrível e sinistro, com laços sombrios que unem o passado de Call e um caminho tortuoso até o seu futuro. Magisterium - O Desafio de Ferro nasceu da extraordinária imaginação das autoras best-seller Holly Black e Cassandra Clare. Um mergulho alucinante em um universo mágico e inexplorado.

"Vocês estão prestes a entrar nos corredores do Magisterium. Para alguns, será a realização de um sonho. Para outros, esperamos que seja o início de um. Para todos, digo que o Magisterium existe para sua própria segurança. Vocês possuem um grande poder, e, sem treinamento, esse poder é perigoso. Aqui, nós os ensinaremos a controlá-lo e também os instruiremos sobre as histórias de magos como vocês que datam desde o passado mais remoto. Cada um de vocês possui um destino único, diferente do caminho convencional que trilhariam longe daqui, um destino que encontrarão do outro lado destas paredes. Vocês já devem ter percebido isso quando vislumbraram os primeiros traços de seus poderes. Porém, enquanto estão aqui, diante desta montanha, imagino que pelo menos alguns de vocês devam estar 
pensando onde foi que se meteram."

Esta é a história de Callum Hunt, um menino aparentemente comum, que sofria com o preconceito por ter nascido com uma perna defeituosa. Call sabia que a magia corria em seu sangue, já que seu pai havia sido um mago, ele apenas não fazia ideia do porque ele havia abandonado seus poderes e o mundo ao qual ele pertencia. Tudo o que o pai lhe dizia era que magos eram perigosos, e que quando chegasse a hora, Call deveria se esforçar para falhar nos testes para entrar na escola de magia.


O tão aguardado e temido dia chega, e Call tenta de todas as formas ser reprovado no teste, mas as coisas não saem como o esperado, e ele acaba sendo selecionado para ingressar no Magisterium e começar seu treinamento para controlar os elementos. Mas Call não sabia muito sobre seu passado, tudo que ele sabia era o que o pai havia mencionado por alto.

Sendo assim, Call não sabia sobre o Inimigo da Morte e o porquê de ele ser tão temido. Não fazia ideia das batalhas e conflitos que os magos precisaram enfrentar para detê-lo, e nem sabia se eles haviam conseguido.

Mas Call tinha um plano: fugir o mais rápido possível daquele lugar e fazer o máximo para não gostar de nada. Ser um péssimo aluno. Mas conforme o tempo vai passando, Call começa a simpatizar com as coisas, e começa a perceber que seu pai escondeu muitas coisas dele; coisas que podem mudar completamente seu futuro.

No Magisterium, Call ganha dois amigos que fariam de tudo por ele, e ele por eles: Aaron e Tamara. Juntos, eles passam por mil aventuras dentro deste lugar mágico e misterioso, cheio de cavernas e criaturas fantásticas.

No começo da história, é possível lembrar de muitas coisas de Harry Potter, e sei que será impossível para algumas pessoas não começar com as comparações infindáveis, e aqueles discursos de “aquele é mil vezes melhor porque blá blá blá...”, mas o que eu amei de verdade, foi o fato de a história tomar um rumo completamente diferente. E quando eu digo COMPLETAMENTE DIFERENTE, vocês podem acreditar, pois estou falando muito sério. Tia Cassie e Tia Holly me deixaram com os nervos à flor da pele com o desfecho desse primeiro livro, e eu já estou loucamente ansiosa pela continuação. 

Então corram e garantam já seu exemplar. Vale cada centavo, eu garanto!

“O fogo quer queimar. A água quer fluir. 
O ar quer se erguer. A terra quer unir. 
Porém o caos, o caos quer devorar.”