segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Resenha #170 Fúria Vermelha (Red Rising #1)

Título: Fúria Vermelha
Série: Red Rising
Ordem: 1
Autor: Pierce Brown
Editora: Globo Alt
Gênero: Distopia / Sci-Fi
Páginas: 468
Ano: 2014
Classificação: 4 estrelas

Sinopse: Fúria Vermelha é o primeiro volume da trilogia Red Rising, e revive o romance de ficção científica que critica com inteligência a sociedade atual. Em um futuro não tão distante, o homem já colonizou Marte e vive no planeta em uma sociedade definida por castas. Darrow é um dos jovens que vivem na base dessa pirâmide social, escavando túneis subterrâneos a mando do governo, sem ver a luz do sol. Até o dia que percebe que o mundo em que vive é uma mentira, e decide desvendar o que há por trás daquele sistema opressor. Tomado pela vingança e com a ajuda de rebeldes, Darrow vai para a superfície e se infiltra para descobrir a verdade. 'Fúria Vermelha' será adaptado para o cinema por Marc Forster, diretor de Guerra mundial Z.


Treta!
Treta!!
Treta!!!

Preparem-se porque esse livro é só tiro, porrada, bomba e muita treta, e um pouco de gravidade também.

Hoje vou falar com vocês sobre Fúria Vermelha, um livro que é uma mistura de Jogos Vorazes sem o mimimi sentimental e Game Of Thrones sem a genialidade de George Martin. Já vou logo avisando, se você se ofende com inspirações claras e referências a outras criações literárias, pule este livro. Sério, não perca seu tempo. Mas se você não se importa com isso e tá a fim de tra tra tra tra tra as que comandam vão no tra tra tra tra tra... então embarque nesse carrossel!



Eu comprei esse livro em 2014 quando era lançamento, várias pessoas falando bem pra caramba e eu paguei uma baba por ele, coisa que eu não faço com livros e autores que desconheço, mas aí você deve se perguntar: Barbara, porque ler só agora? Dois anos depois...?! Bom, eu vi alguns comentários que me fizeram broxar, então deixei o livro de escanteio por esse tempo. Agora em virtude do Desafio das GeLs, eu resolvi ler e sim, gostei pra caramba!



O livro conta a história de Darrow, um jovem de 16 anos que trabalha nas minas de Marte, os tempos mudaram e a evolução tecnológica levou o homem a habitar outros planetas. Darrow entende que seu trabalho é de suma importância, ele é um dos muito Vermelhos que trabalham duramente para que Marte se torne habitável para as outras cores e futuros moradores do planeta vermelho.

“- É raro.
- O quê?
- Eu estava errada sobre você. Isso é raro.”

Essa sociedade é dividida por cores, cada uma tem uma função específica na nela. A mais baixa é a cor Vermelha, eles são responsáveis pelos trabalhos mais duros e difíceis. A cor que domina e governa é a Ouro, os Ouros são a elite: lindos, saudáveis, quase deuses entre os humanos. E os mais temidos.

“Ele acha que homens como eu são fracos. Ele me considera idiota, sub-humano. Não fui criado em palácios. Não cavalgava nos prados nem comia língua de beija-flor. Fui forjado nos intestinos deste mundo duro. Afiado pelo ódio. Fortalecido pelo amor.”

A vida de Darrow não tinha nada de excepcional, trabalho duro sem recompensa digna, isso não o incomodava, mas incomodava a outra pessoa e após uma tragédia, nada poderia ser mais o mesmo. A vida do nosso protagonista é completamente alterada e você meu caro leitor, irá se surpreender... #treta.

Apesar das referências e claras inspirações nas duas séries de sucesso que comentei no começo dessa resenha, Fúria Vermelha tem o seu quinhão de autenticidade. Eu gostei da mistura de ficção científica com distopia, o livro não tem muito mimimi, tem ação do começo ao fim. A história me prendeu logo no início, fui acompanhando a vida do Darrow e não conseguia prever como ele chagaria aonde chegou.

Fúria Vermelha nos apresenta uma sociedade corrupta, desigual e dominada por um grupo exclusivo. As pessoas não são indivíduos com direitos, deveres e poder para definir seu futuro, mas apenas Cores – um sistema semelhante ao das Castas – porém muito mais rígido. Então Darrow aparece, disposto a colocar tudo a baixo, mas as coisas não são assim tão simples e nós ainda temos mais dois livros pela frente rsrs.

Eu gostei bastante de FV, me empolgou apesar de me deixar bem confusa com algumas palavras e situações, mas decidi seguir o fluxo e gostei para onde a história se encaminhou, fugindo dos clichês básicos no quesito romance e com muita vingança, traição, alianças e amizades se formando onde se menos espera. Ah, tem muitos xingamentos! Eu ria tanto, mas tanto da criatividade de alguns personagens na hora de xingar.



Dei 4 estrelas pela falta e originalidade em alguns aspectos, o Pierce Brown tinha uma gama de soluções que ele poderia apelar e assim afastar sua história das duas referências  já citadas, mas ele não fez. Em vários momentos eu me peguei pensando: “isso é muito Jogos Vorazes” ou “momento GoT”, isso fica chato depois de um tempo, mas na terceira e quarta parte o livro ganha vida própria e fica muito bom.

Outro ponto negativo é a respeito da edição... Vocês sabem que eu amo a Globo Alt e babo pelos seus livros, mas após dois anos (apenas), as letras da capa da minha edição estão desbotando. Foi só eu começar a manusear que o prateado das letras foi perdendo todo o brilho e sumindo... Odeio isso >.< Fora isso o livro é ótimo, a diagramação está perfeita e não encontrei um errinho. Parabéns galera da revisão!

Vou parar por aqui falando apenas que vocês devem ler esse livro, se o aviso que dei no começo dessa resenha não te atinge, vá em frente. Eu adorei cada minuto do tempo que passei lendo e já estou empolgada para ler o segundo e terceiro, sorte minha que ambos já foram lançados! E é claro que vou resenhar para vocês.

“A morte não é vazia como você afirma ser. Vazia é a vida sem liberdade, Darrow.”

Leiam Fúria Vermelha, a história não é original, porém vale a pena.