sexta-feira, 22 de abril de 2016

Resenha #146 Trono de Vidro (Trono de Vidro #1)

Título: Trono de Vidro (Trono de Vidro #1)
Autor: Sarah J Maas
Editora: Galera Record
Ano: 2013
Páginas: 392
Classificação: 3 estrelas

Sinopse: Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, uma jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, e a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte, e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo.



Olá galera!

Todos aproveitando o feriado prolongado?

Tem resenha nova na área e hoje vou falar sobre Trono de Vidro. Quem nos acompanha nas redes sociais, sabe que esse é um dos livros que está no Desafio das GeLs de 12 livros para 2016. Se você não faz ideia do que estou falando, é só clicar aqui e ficar por dentro de nossos desafios.

Mas vamos falar de Trono de Vidro, o motivo de você ter clicado nessa resenha! Rsrs

Eu ganhei o livro em 2013 e desde então estava na minha estante esperando para ser lido, não sei por que, mas não senti vontade de ler antes. Com o desafio de 2016, o coloquei na lista, e agora em abril senti vontade de ler uma fantasia e Trono de Vidro foi o eleito da vez. Confesso que me surpreendi com a rapidez que o livro me “pegou”, já vou explicar os motivos, mas antes vou contar um pouco sobre a história.



Celaena Sardothien é uma assassina, mas não qualquer, ela é a Melhor Assassina de Adarlan. Com fama e uma lista extensa de assassinatos, ela nunca imaginou que poderia ser pega, mas foi o que aconteceu e o livro começa com ela presa nas minas de sal de Endovier. Local de segurança máxima onde seria impossível para qualquer pessoa fugir, mesmo para a Assassina de Adarlan, mas uma proposta a surpreende e pode ser seu passe para a liberdade.

“A imagem assombrou seus sonhos a noite toda: a linda garota que olhava as estrelas e as estrelas que a olhavam de volta.”

Um concurso para eleger o Campeão do Rei irá começar, e Celaena tem a chance de participar como representante do príncipe herdeiro. Se sobreviver, ela poderia reconquistar sua liberdade após um período servindo ao rei. Se falhasse, ela voltaria para Endovier. É claro que Celaena aceita e é quando as coisas começam a ficar boas no livro!

Nossa mocinha assassina chega ao palácio pronta para enfrentar o desafio e vencer de qualquer forma. Vários outros assassinos, ladrões, soldados... estão a espera para também competir e vencer, mas eles não são os únicos obstáculos para vitória de Celaena. Um mistério cerca o palácio de vidro, forças malignas além da compreensão de qualquer um estão surgindo e Celaena pode ser a única capaz enfrentá-las.

“Um coração corajoso é muito raro. Deixe que ele a guie.”

Logo no começo, a história me prendeu. Celaena é uma garota forte, determinada e tem completa noção de sua força, mas ela também é uma “mocinha” rsrs, adora roupas e estar bonita... Se não fosse assassina, provavelmente seria uma fashionista rs.



O livro é cheio de personagens e plots, cada um poderia se perder ou ser facilmente esquecido pelo leitor ao longo das páginas, mas preciso dizer que a Sarah conseguiu amarrar todas as pontas e finalizar o livro. Mas mesmo ela conseguindo resolver os conflitos, o excesso de plot deixou o livro superficial.

A história é narrada em terceira pessoa, o foco principal é na visão da Celaena, mas temos vislumbres de outros personagens importantes como o chefe da guarda real e treinador da assassina, Chaol. O príncipe Dorian também tem sua quota de ponto de vista como outros personagens que compõe o enredo. Esse recurso é interessante porque dá ao leitor um conhecimento maior do todo ao invés de apenas partes, como acontece quando o livro é em primeira pessoa.

Apesar disso, o livro que tinha me empolgado no começo, acabou me decepcionando no final. Um princípio de triângulo amoroso começou a se desenhar e eu já comecei a desgostar (não suporto triângulos amorosos), fora que tinham plots muito interessantes que deixaram de ser explorados. Isso querido leitor, é o que acontece quando se aborda assuntos em excesso ao mesmo tempo!

“Que o campeão do rei seja alguém que entende o sofrimento dos inocentes.”

É um livro legal, isso não posso negar. A escrita da Sarah é envolvente e empolgante, mas deixou a desejar no desenvolvimento das histórias desse primeiro livro. Sim, eu sei que tem continuação e pelo que li, muitas coisas mudam, mas saber disso não diminui minha decepção com o final.

Enfim, dei três estrelas por no geral ser um bom livro e que vale a pena ser lido. Se você gosta de livros com garotas fortes, dramas em uma corte real, uma dose de fantasia... pode ler Trono de Vidro, mas não crie grandes expectativas, vá sem pretensões e pelo prazer de se divertir.

Eu vou dar uma chance para a continuação, se me agradar ou não eu volto aqui e conto para vocês. Espero que vocês tenham gostado e não deixem de me dizer se concordam ou discordam. Adoro ler a opinião de vocês!

“E que embora fosse livre, outros não eram.”

Beijos e até a próxima!